Lojas americanas vai fechar no Brasil? BTG consegue bloquear R$ 1,2 bi; cotação de AMER3 é desesperadora

Publicado em 18/01/2023 por Alan Corrêa

A situação não está nada fácil para os investidores após a revelação de um rombo na Americanas

Na sexta-feira (13), foi revelado que a dívida total ultrapassa R$ 40 bilhões. No mesmo dia, a Justiça do Rio de Janeiro concedeu uma tutela antecipada que suspende qualquer bloqueio, sequestro ou penhora de bens das Lojas Americanas, até que o grupo apresente um plano de recuperação judicial.

Cotação de AMER3

No Bolsa de Valores a desconfiança do mercado sobre a possibilidade da varejista conseguir se recuperar é evidente.

O papel que era negociado a 12 reais antes das revelações fiscais, fechou o dia de hoje (18) custando R$ 1,74.

BTG Pactual (BPAC11) consegue bloquear R$ 1,2 bi

O banco BTG Pactual recorreu na Justiça contra uma liminar que protegeu as Americanas S.A. dos credores. A decisão desta quarta-feira (18) é liminar, uma vez que o pedido do banco ainda será apreciado pelo tribunal.

O BTG Pactual (BPAC11) conseguiu na Justiça o direito de bloquear R$ 1,2 bilhão da Americanas (AMER3) sob custódia do banco, decidiu o desembargador Flávio Marcelo Fernandes, da segunda instância do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

Entenda o caso

O público em geral levou um susto na sexta-feira (13), provavelmente o dia mais difícil na história da Lojas Americanas (AMER3) e seus investidores, a empresa descobriu um rombo que deve passar dos R$ 20 bilhões.

Diretoria recém-chegada e bem recebida pelo mercado, contratada para colocar ordem no balanço da empresa, renunciou. A Americanas percebeu que o valor bilionário — que é referente aos primeiros nove meses de 2022 e anos anteriores — não havia sido registrado de forma apropriada nos balanços corporativos da empresa.

As ações da Americanas despencaram quase 80% na bolsa de valores nesta quinta-feira (12), depois que a empresa publicou comunicado em que diz que foram identificadas “inconsistências em lançamentos contábeis” no balanço, em valor que chega a R$ 20 bilhões. O Juiz da 4ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, Paulo Assed, concedeu uma medida de tutela de urgência cautelar pedida pela Americanas. É uma decisão que suspende toda e qualquer possibilidade de um bloqueio, sequestro ou penhora de bens da empresa, assim como adia a obrigação da Americanas de pagar suas dívidas até que um provável pedido de recuperação judicial seja feito à Justiça.

O ex-CEO da Americanas Sergio Rial fez um pronunciamento nesta quinta-feira (12) após a repercussão da notícia de inconsistências contábeis no valor aproximado de R$ 20 bilhões no balanço da varejista.

“Não sou capaz, nesse momento, de poder dizer a você exatamente quando começou”, disse o executivo.

Em vídeo, Rial esclareceu algumas perguntas sobre o episódio, reforçando a narrativa dada em teleconferência realizada com analistas de que ainda não há precisão da data em que essas irregularidades começaram.

Segundo o Ministério da Justiça, a Senacon quer entender os seguintes pontos: quais os impactos imediatos sobre os consumidores; quais os impactos a médio e longo prazo; e quais as políticas e canais de solução de eventuais conflitos para os consumidores. O órgão monitora condutas que possam caracterizar infrações às relações de consumo com repercussão nacional.

*Com informações do Google Finanças, UOL e Infomoney.