buscar
Notícias

Sucata Online: app fiscalizará vendas em ferro-velho no Rio de Janeiro

A Secretaria de Polícia Civil do Rio de Janeiro desenvolveu o aplicativo Sucata Online com o intuito de evitar a compra de produtos roubados ou furtados por ferros-velhos. A ferramenta tem como objetivo catalogar os itens adquiridos por empresas de reciclagem e estabelecimentos similares. A lista de produtos inclui fios de cobre roubados da malha ferroviária, semáforos instalados na cidade e portões de alumínio levados de residências e condomínios.
Publicado em Notícias dia 20/06/2023 por Alan Corrêa

A Secretaria de Polícia Civil do Rio de Janeiro desenvolveu o aplicativo Sucata Online com o intuito de evitar a compra de produtos roubados ou furtados por ferros-velhos. A ferramenta tem como objetivo catalogar os itens adquiridos por empresas de reciclagem e estabelecimentos similares. A lista de produtos inclui fios de cobre roubados da malha ferroviária, semáforos instalados na cidade e portões de alumínio levados de residências e condomínios.

O aplicativo permitirá o cadastramento de informações dos vendedores e dos produtos vendidos, incluindo detalhes como volume, peso e valores. A ideia é fechar o cerco contra receptadores e proteger os cidadãos que dependem da reciclagem como meio de subsistência, conforme explicou o governador Cláudio Castro.

Novo aplicativo combate comércio de produtos roubados em ferros-velhos no Rio de Janeiro

Ele ressaltou que a intenção não é penalizar os pequenos catadores, frequentemente explorados pelos criminosos devido à sua vulnerabilidade social. O governo está estudando formas de regulamentar essa atividade, oferecendo incentivos e benefícios aos envolvidos.

“Não vamos penalizar o pequeno catador que, muitas vezes, é usado pelos criminosos para cometer delitos, devido à sua vulnerabilidade social. Estamos estudando uma forma de regulamentá-los, dando incentivos e benefícios”, explicou.Castro.

Os estabelecimentos de reciclagem e ferros-velhos terão 90 dias para apresentar a documentação necessária à Delegacia de Roubos e Furtos, a fim de integrar o sistema e utilizar o aplicativo. Após esse prazo, esses locais serão fiscalizados e monitorados regularmente pelas forças de segurança para verificar a procedência dos materiais adquiridos pelos comerciantes. O objetivo é desestimular práticas irregulares nesse ramo, conforme informou o secretário de Polícia Civil, Fernando Albuquerque.

*Com informações da Agência Brasil.