buscar

Preço do gás de cozinha teve redução de 21,3%

A Petrobras comunicou uma redução significativa de 21,3% no preço médio de venda do gás liquefeito de petróleo (GLP). Essa decisão é parte de uma nova estratégia comercial de precificação para o mercado interno, conforme afirmou o presidente da empresa, Jean Paul Prates.
Publicado em Notícias dia 18/05/2023 por Alan Corrêa

A Petrobras comunicou uma redução significativa de 21,3% no preço médio de venda do gás liquefeito de petróleo (GLP). Essa decisão é parte de uma nova estratégia comercial de precificação para o mercado interno, conforme afirmou o presidente da empresa, Jean Paul Prates.

A partir de quarta-feira (17), a Petrobras comercializará o botijão de 13 quilos de GLP para as distribuidoras por um valor médio de R$ 8,97 a menos em comparação ao preço atual. Caso as distribuidoras repassem integralmente essa economia para o consumidor final, o botijão poderá ser adquirido pelas residências pelo preço médio de R$ 99,87.

Segundo o presidente da Petrobras, essa é a primeira vez, desde outubro de 2021, que o preço do botijão de gás vendido às distribuidoras fica abaixo de R$ 100

“Esta é a melhor notícia. Baixamos [o preço do botijão] de R$ 100”, comentou Prates logo após se reunir com o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, em Brasília.

Segundo o presidente da Petrobras, essa é a primeira vez, desde outubro de 2021, que o valor do botijão de gás vendido às distribuidoras fica abaixo de R$ 100.

Além da redução no preço do GLP, a nova estratégia comercial da empresa também contempla uma diminuição nos preços médios de venda do diesel e da gasolina A para as distribuidoras. O diesel terá uma redução de R$ 0,44 por litro, enquanto a gasolina A terá uma diminuição de R$ 0,40 por litro.

No entanto, a redução dos preços dos produtos para revenda é influenciada por diversos fatores, como impostos, inclusão de biocombustíveis e margens de lucro tanto na distribuição quanto na revenda.

“Teremos a melhor alternativa de preços para nossos clientes em cada ponto de venda da Petrobras. Lembrando que [no caso dos combustíveis] a empresa não tem mais uma distribuidora”, acrescentou Prates.

*Com informações da Agência Brasil.