buscar
Entretenimento

Livros são temas para Carnaval do Rio de Janeiro em 2024

Com enredos inspirados na literatura, Porto da Pedra e Portela mostram que a arte e a cultura estão presentes nas escolas de samba, proporcionando uma experiência única no Carnaval carioca.
Publicado em Entretenimento dia 9/07/2023 por Alan Corrêa

A Porto da Pedra, também conhecida como Tigre de São Gonçalo, voltará ao Grupo Especial das escolas de samba do Rio de Janeiro com um enredo inspirado na literatura para o desfile do Carnaval de 2024. O tema escolhido é “O Lunário Perpétuo: A Profética do Saber Popular”.

O carnavalesco Mauro Quintaes, responsável pela criação do enredo, destacou a intenção de valorizar o conhecimento em suas diversas formas, estimulando o pensamento, a discussão, a reflexão e o ensino. O texto publicado no site da escola ressalta que o saber popular se manifesta em práticas que marcam a identidade de uma comunidade e de uma sociedade como um todo.

A Porto da Pedra garantiu seu retorno ao Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro ao conquistar o campeonato do Grupo da Série Ouro no Carnaval de 2023. O título foi alcançado com um enredo baseado no livro “A Jangada: 800 Léguas pelo Amazonas”, escrito por Júlio Verne, que nunca esteve no Brasil. A escola propôs uma grande aventura do imaginário humano na região amazônica e encantou o público.

O enredo atual, baseado no Lunário Perpétuo, despertou a curiosidade de Quintaes após ouvir uma informação em um programa da Rádio MEC. Ele descobriu o trabalho de Antônio Nóbrega, em parceria com o Armorial de Ariano Suassuna, e se deparou com o Lunário Perpétuo, um almanaque escrito em 1594 por Jerónimo Cortés. O enredo explora a chegada do Lunário ao Brasil com a família real, sua influência na região nordeste e sua relevância na cultura popular.

Enredo baseado em obra de Júlio Verne trouxe a Porto da Pedra de volta ao Grupo Especial (Ana Cristina Vitória/Divulgação)

Quintaes e Diego Araújo, em parceria, estão elaborando os detalhes do desfile da Porto da Pedra, que abordará uma divisão histórica do Lunário Perpétuo. A escola planeja destacar os alquimistas, a chegada do almanaque ao Brasil, os presságios dos astros, a figura de Manoel Caboclo, a cura da alma através das benzedeiras e folhas, e a influência contemporânea do armorial dos folguedos populares de Ariano Suassuna. O próprio Antônio Nóbrega, brincante e divulgador do Lunário Perpétuo, participará do desfile.

A Porto da Pedra abrirá o primeiro dia de desfiles no Sambódromo, em 11 de fevereiro. O fato de ser a primeira escola não preocupa Quintaes, que confia na força da comunidade para criar uma atmosfera envolvente. A escola busca trazer a comunidade de São Gonçalo para dentro da Marquês de Sapucaí, minimizando a suposta “frieza” do público que ainda está se adaptando ao Carnaval de 2024.

Outra escola de samba que escolheu um enredo literário é a Portela. A agremiação optou por “Um Defeito de Cor”, obra de Ana Maria Gonçalves, considerada um clássico da literatura afrofeminista brasileira. A escritora expressou sua felicidade em ter sua obra como inspiração para o enredo da escola de Oswaldo Cruz e Madureira. O enredo da Portela aborda os afetos despertados pela maternidade, especialmente a maternidade das mães negras, destacando a ancestralidade e os terreiros de todas as mães.

Camiseta usada por sambistas portelenses destaca enredo escolhido pela escola para o desfile de 2024 (Portela/Divulgação)

Os carnavalescos Antônio Gonzaga e André Rodrigues, responsáveis pelo enredo da Portela, destacaram que a escolha de “Um Defeito de Cor” reflete a união artística, o samba e as heranças que os unem. Eles ressaltaram o desejo de levar o livro para pessoas e lugares que geralmente não têm acesso a esse tipo de literatura, proporcionando uma nova interpretação por meio do Carnaval.

A seleção dos sambas enredos da Porto da Pedra começará em 12 de agosto, quando a escola inaugurará sua nova quadra após uma grande reforma. Os compositores estão na fase de criação das músicas, e a expectativa em torno do enredo é alta, já que a escola busca manter o sucesso conquistado com o enredo anterior, “A Jangada: 800 Léguas pelo Amazonas”.

Com enredos inspirados na literatura, Porto da Pedra e Portela mostram que a arte e a cultura estão presentes nas escolas de samba, proporcionando uma experiência única no Carnaval carioca.

*Com informações da Agência Brasil.