buscar
Educação

Gonçalves Dias: Celebrando 200 Anos do Poeta que Consolidou o Romantismo e a Identidade Brasileira

Nesta quinta-feira, 10 de agosto, marca o bicentenário de nascimento do renomado poeta brasileiro Antônio Gonçalves Dias. O professor de literatura brasileira e dramaturgia da Universidade Federal Fluminense (UFF), André Dias, destaca a significância desse marco, ressaltando que Gonçalves Dias foi um dos precursores a consolidar os princípios do romantismo no Brasil e a contribuir para a formação da identidade nacional.
Publicado em Educação dia 10/08/2023 por Alan Corrêa

Nesta quinta-feira, 10 de agosto, marca o bicentenário de nascimento do renomado poeta brasileiro Antônio Gonçalves Dias.

O professor de literatura brasileira e dramaturgia da Universidade Federal Fluminense (UFF), André Dias, destaca a significância desse marco, ressaltando que Gonçalves Dias foi um dos precursores a consolidar os princípios do romantismo no Brasil e a contribuir para a formação da identidade nacional.

Em uma entrevista à Agência Brasil, o professor André Dias sublinha a importância de Gonçalves Dias na construção da nacionalidade brasileira após a Independência do Brasil em 1822. Ele observa que, na época, o país estava em seus primeiros passos como nação independente e jovem, com a tarefa de estabelecer sua própria identidade cultural e histórica. Gonçalves Dias desempenhou um papel crucial ao articular os ideais românticos, sendo uma figura proeminente nesse movimento e um dos primeiros a contribuir para a construção da noção de brasilidade.

Brasil celebra bicentenário de nascimento do poeta Gonçalves Dias

André Dias também reconhece que, ao olharmos para essa época a partir do cenário atual, é possível questionar a concepção de nacionalidade criada pelos primeiros românticos. Ele destaca que a presença negligenciada dos negros na formação da identidade brasileira, evidenciada apenas mais tarde no movimento romântico por meio de poetas como Castro Alves, é uma das lacunas desse período. No entanto, enfatiza que, apesar das críticas contemporâneas, os primeiros românticos, incluindo Gonçalves Dias, foram essenciais para estabelecer as bases do romantismo e, consequentemente, da identidade nacional.

Em termos estéticos, o professor destaca a habilidade de Gonçalves Dias em fundir sua sólida formação intelectual europeia, adquirida especialmente em Portugal, com a sensibilidade brasileira. Ele menciona que o poeta conseguiu criar uma poesia brasileira que harmonizou influências externas com a realidade cultural do Brasil na primeira metade do século 19.

A contribuição de Gonçalves Dias à cultura brasileira vai além da estética. O poeta foi pioneiro no movimento indianista, celebrando as paisagens brasileiras e os indígenas. Enquanto outros escritores, como José de Alencar, transformavam os indígenas em personagens literários, Gonçalves Dias os elevava a símbolos de nobreza, força e resiliência. Seus épicos, como “Canto do Tamoio”, retratavam os indígenas como figuras capazes de enfrentar adversidades com dignidade.

André Dias reconhece que a visão atual pode suscitar debates sobre a grandiosidade atribuída aos indígenas por Gonçalves Dias, mas destaca a importância histórica de sua abordagem. O poeta desempenhou um papel central ao dar visibilidade às populações indígenas, desafiando a exploração eurocêntrica.

O também poeta e ex-presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL), Marco Lucchesi, ressalta que Gonçalves Dias não apenas influenciou a gramática e a sonoridade da língua portuguesa, mas também contribuiu para moldar a imaginação e a história do Brasil. Lucchesi destaca que a presença do indígena nas obras de Gonçalves Dias, mesmo sendo questionável em retrospecto, ainda influencia a maneira como o Brasil é pensado até os dias atuais.

O legado de Gonçalves Dias se estende por diferentes aspectos da cultura brasileira, desde a literatura até o estudo das línguas indígenas e do folclore. Seu papel na construção da identidade nacional é inegável, e seu bicentenário é uma oportunidade para refletir sobre o passado e valorizar sua contribuição singular para a cultura do Brasil.

*Com informações da Agência Brasil, Wikipedia, Fapesp, USP e Academia Brasileira de Letras.