buscar
Brasil

Caso Marielle Franco finalmente terá uma solução?

O procurador-geral de Justiça do Estado do Rio, Luciano Mattos, anunciou os novos membros da força-tarefa que irão acompanhar as investigações do caso da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.
Publicado em Brasil dia 4/03/2023 por Alan Corrêa

O procurador-geral de Justiça do Estado do Rio, Luciano Mattos, anunciou os novos membros da força-tarefa que irão acompanhar as investigações dos mandantes dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

A equipe será composta por sete promotores de Justiça: Eduardo Morais Martins, Paulo Rabha de Mattos, Patrícia Costa Santos, Glaucia Rodrigues Torres de Oliveira Mello, Pedro Eularino Teixeira Simão, Mario Jessen Lavareda e Tatiana Kaziris de Lima Augusto Pereira.

Marielle Franco, também conhecida como Marielle Francisco da Silva, foi uma socióloga, ativista e política brasileira filiada ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Ela se elegeu vereadora do Rio de Janeiro para a Legislatura 2017-2020 nas eleições municipais de 2016, conquistando a quinta maior votação (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Segundo a nota divulgada pela procuradoria, o chefe do Ministério Público do Rio de Janeiro orientou que o caso tenha prioridade e que conte com o auxílio do Ministério da Justiça e da Polícia Federal. No dia 22 de fevereiro, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, determinou a instauração de um novo inquérito da Polícia Federal para ampliar a colaboração com as investigações.

O assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes completará cinco anos em 14 de março, mas ainda não houve conclusão sobre os mandantes e as motivações do crime.

Imagem da ex-vereadora Marielle Franco foi inaugurada no Buraco do Lume, centro da cidade do Rio de Janeiro em 2022 (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

As investigações da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio de Janeiro apontaram o sargento reformado e expulso da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMRJ) Ronnie Lessa como o autor dos disparos, com a colaboração do ex-policial militar Élcio Queiroz. Eles estão presos preventivamente desde 2019 e respondem por duplo homicídio triplamente qualificado e pela tentativa de homicídio contra uma assessora de Marielle, que também estava no veículo e sobreviveu.

*Com informações da Agência Brasil.