buscar
Economia

Caixa Tem: Veja como acessar a poupança social digital

A conta de poupança social digital permite que as pessoas recebam o auxílio emergencial e outros benefícios sociais e previdenciários sem pagar qualquer tarifa de manutenção. Essas contas têm um limite de movimentação de até R$ 5 mil por mês.
Publicado em Economia dia 4/11/2020 por Alan Corrêa

A conta de poupança social digital permite que as pessoas recebam o auxílio emergencial e outros benefícios sociais e previdenciários sem pagar qualquer tarifa de manutenção.

A Poupança Social Digital CAIXA é uma modalidade de poupança simplificada, aberta para beneficiários de programas governamentais e com limite de saldo e movimentação máxima mensal de R$ 5.000,00. A movimentação da Poupança Social Digital é feita pelo app Caixa Tem. O aplicativo está disponível para Android e iOS.

Além da isenção de tarifa, a conta permite que o titular faça três transferências eletrônicas por mês sem custos. O correntista poderá, ainda, usar a conta para pagar boletos bancários.

No caso de pessoas que tenham sido cadastradas para o recebimento do auxílio emergencial, abono salarial, saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ou o programa emergencial de manutenção de empregos, a conta poderá ser aberta de forma automática.

Podem ser depositados nessa conta outros benefícios sociais, incluindo os de estados e municípios, exceto os de natureza previdenciária, como aposentadoria e auxílio-doença. Para isso, o cidadão precisa autorizar expressamente a abertura desse tipo de conta, ou o uso de outra já existente em seu nome.

A conta pode ser fechada ou convertida em conta regular a qualquer tempo, sem custos adicionais.

Como acessar a poupança social

A movimentação da Poupança Social Digital é feita pelo aplicativo Caixa Tem. No aplicativo você pode fazer:

100 milhões de poupanças sociais digitais

A Caixa atingiu a marca de 100 milhões de poupanças sociais digitais, a cerimônia alusiva teve a participação do presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

*Com informações da Agência Brasil e Caixa.