buscar
Brasil

Astrud Gilberto morreu aos 83 anos

Faleceu na última segunda-feira (5) a renomada cantora e compositora Astrud Gilberto, aos 83 anos de idade. Astrud, um verdadeiro ícone da Bossa Nova, emprestou sua voz a canções que conquistaram o mundo e contribuíram para a disseminação da musicalidade brasileira além das fronteiras nacionais. A triste notícia foi confirmada por Paul Ricci, colaborador da artista, em uma postagem nas redes sociais, atendendo ao pedido do filho da cantora, e também pela neta de Astrud, Sofia Gilberto.
Publicado em Brasil dia 6/06/2023 por Alan Corrêa

Faleceu na última segunda-feira (5) a renomada cantora e compositora Astrud Gilberto, aos 83 anos de idade. Astrud, um verdadeiro ícone da Bossa Nova, emprestou sua voz a canções que conquistaram o mundo e contribuíram para a disseminação da musicalidade brasileira além das fronteiras nacionais. A triste notícia foi confirmada por Paul Ricci, colaborador da artista, em uma postagem nas redes sociais, atendendo ao pedido do filho da cantora, e também pela neta de Astrud, Sofia Gilberto.

Nascida Astrud Evangelina Weinert em Salvador, no ano de 1940, a cantora mudou-se ainda criança para o Rio de Janeiro, onde cresceu e desenvolveu seu profundo interesse pela música. Em 1959, ela se casou com João Gilberto, lendário músico da Bossa Nova, e adotou o sobrenome que se tornaria conhecido mundialmente.

No Rio de Janeiro, Astrud participou de diversas apresentações ao lado do marido e de outros renomados artistas, como Nara Leão, Johnny Alf e Elza Soares. Uma dessas apresentações notáveis foi “A noite do amor do sorriso da flor”, realizada no anfiteatro da Faculdade de Arquitetura da UFRJ, em 1960. A cidade carioca teve uma influência significativa na musicalidade e no trabalho de Astrud.

Astrud Gilberto (Reprodução/ TV Globo)

Em 1963, já morando em Nova York, a cantora teve uma participação marcante no álbum “Getz/Gilberto”, uma colaboração entre João Gilberto e o saxofonista Stan Getz, com arranjos de Tom Jobim. Esse álbum se tornou um sucesso estrondoso e conquistou o Grammy de Álbum do Ano e Gravação do Ano, com destaque para a icônica canção “Garota de Ipanema”. Astrud foi até mesmo indicada nas categorias de Melhor Performance Vocal Feminina, perdendo para Barbra Streisand, e Artista Revelação, na qual foi superada pelos Beatles.

Pouco depois do lançamento do álbum que a consagrou internacionalmente, Astrud e João Gilberto se separaram. No entanto, a cantora seguiu sua carreira brilhantemente, realizando apresentações tanto no Brasil quanto no exterior. Ao longo do tempo, seu trabalho foi se tornando cada vez mais autoral, encantando plateias ao redor do mundo.

Em suas turnês internacionais, Astrud Gilberto teve a oportunidade de levar a musicalidade brasileira a todos os cantos do planeta, tornando-se uma verdadeira embaixadora do nosso país. Seu legado artístico transcendeu fronteiras e influenciou gerações de músicos e amantes da Bossa Nova.

Em abril de 2002, Astrud Gilberto foi indicada para o “International Latin Music Hall of Fame”, uma honra merecida e um testemunho do seu impacto duradouro na música latina.

A partida de Astrud Gilberto deixa um vazio na cena musical brasileira e internacional. Sua voz única e seu talento inigualável jamais serão esquecidos. Que sua contribuição para a música continue a inspirar e encantar gerações futuras. Descanse em paz, Astrud Gilberto.

*Com informações do G1 e Terra.