buscar
Saúde

A crescente tendência de interromper a menstruação: benefícios e precauções

A prática de interromper a menstruação, que teve início nos Estados Unidos e está se espalhando pelo mundo, incluindo o Brasil, tem despertado interesse e gerado discussões entre as mulheres. Embora a interrupção da menstruação seja uma opção viável para algumas, é essencial entender os motivos por trás dessa escolha e os cuidados necessários para evitar riscos à saúde. Neste artigo, exploraremos essa tendência, destacando os métodos utilizados, as vantagens e as precauções que devem ser consideradas.
Publicado em Saúde dia 3/06/2023 por Alan Corrêa

A prática de interromper a menstruação, que teve início nos Estados Unidos e está se espalhando pelo mundo, incluindo o Brasil, tem despertado interesse e gerado discussões entre as mulheres. Embora a interrupção da menstruação seja uma opção viável para algumas, é essencial entender os motivos por trás dessa escolha e os cuidados necessários para evitar riscos à saúde. Neste artigo, exploraremos essa tendência, destacando os métodos utilizados, as vantagens e as precauções que devem ser consideradas.

O contexto da suspensão menstrual: Os primeiros casos de suspensão menstrual foram observados entre astronautas, cuja necessidade de evitar o desconforto da menstruação em gravidade zero era evidente. Posteriormente, atletas também passaram a se beneficiar dessa prática, especialmente durante competições intensas, nas quais lidar com cólicas e desconforto menstrual pode ser desafiador.

Métodos para interromper a menstruação

Uma tendência que vem ganhando espaço nos Estados Unidos e se espalhando pelo mundo, inclusive no Brasil, é a interrupção da menstruação por parte das mulheres.

Existem várias técnicas disponíveis para interromper a menstruação. A mais comum é o uso de pílulas anticoncepcionais, nas quais a mulher continua tomando o medicamento sem fazer a pausa de sete dias, resultando na supressão da menstruação. Outra alternativa é o uso de dispositivos intrauterinos (DIUs) com hormônios, que são inseridos no útero e também têm o efeito de suspender a menstruação. Além disso, injeções de progesterona, aplicadas a cada 90 dias, e dispositivos subcutâneos, que liberam hormônios gradualmente, também podem ser utilizados.

Os motivos por trás da escolha

Algumas mulheres defendem que a menstruação não é uma necessidade biológica e preferem evitar os desconfortos associados a esse período. Além disso, argumentam que suas avós, que tiveram várias gestações e amamentaram por longos períodos, menstruavam com menos frequência. No entanto, é importante ressaltar que não há evidências científicas que comprovem a necessidade da menstruação para a saúde feminina.

Precauções e acompanhamento médico

É fundamental destacar que o uso de hormônios para interromper a menstruação deve ser realizado sob supervisão médica. Todos os medicamentos possuem efeitos colaterais e os hormônios não são exceção. Portanto, não é recomendado tomar pílulas ou usar outros métodos sem orientação profissional adequada. É essencial discutir com um médico sobre possíveis contra-indicações, especialmente em casos de histórico familiar de câncer de mama ou trombose.

É fundamental destacar que o uso de hormônios para interromper a menstruação deve ser feito sob supervisão médica. Todo medicamento possui efeitos colaterais, e os hormônios não são exceção.

A tendência de interromper a menstruação está ganhando popularidade entre algumas mulheres, oferecendo benefícios como a redução do desconforto e da interferência em atividades físicas intensas. É crucial ter em mente que essa prática deve ser adotada com cautela e acompanhamento médico. Não se deve tomar decisões precipitadas ou seguir o exemplo de outras pessoas sem considerar os riscos e as necessidades individuais. A suspensão da menstruação pode ser uma opção válida para algumas mulheres, desde que seja feita de maneira responsável e consciente.

É imprescindível buscar orientação médica para entender os possíveis efeitos colaterais e riscos associados ao uso desses métodos contraceptivos. Além disso, é importante considerar a história familiar, como casos de câncer de mama e trombose, pois essas condições podem contraindicar a suspensão da menstruação.

*Com informações do Piauí e UOL.