27 invenções femininas para melhorar o mundo

Tem gente que ainda não sabe, mas o lugar da mulher, é exatamente onde ela quiser. Certo! Então há algumas figuras que talvez você ainda desconheça, mas a partir de agora vai ficar sabendo a importância de invenções incríveis e revolucionárias para a época em que seus feitos foram alvo de críticas e de elogios. Esta lista traz invenções realmente pertinentes à nossa espécie, agradando semelhantes do mesmo sexo e até do sexo oposto, como é o caso até da cervejinha.

Curiosidades
6 meses atrás
27 invenções femininas para melhorar o mundo

Impermeabilizador de tecidos – Patsy Sherman, em 1952.

Corretivo para caneta – Inventado por Bette Nesmith Graham em 1958.

Coleira retrátil – Mary A. Delaney, em 1908.

Fraldas descartáveis – Marion Donovan, em 1951.

Telescópio e lâmpada para submarinos – Sarah Mather, em 1845.

Limpador de para-brisa – Mary Anderson, em 1903. A versão automática foi criada por Charlotte Bridgwood em 1917.

Gabinete com cama dobrável – Sarah E. Goode, em 1885. Foi a primeira mulher negra a receber uma patente nos Estados Unidos.

A escala Apgar – É uma métrica que foi desenvolvida para obter uma avaliação adequada para a saúde da criança recém-nascida (nos primeiros 5 minutos de vida). E para garantir mais um título feminino, a Dra. Virginia Apgar, anestesiologista obstétrica, foi a criadora deste método em 1952.

Casa sustentada por energia solar – Maria Telker, biofísica, em 1947.

Aquecedor de carros – Margaret A. Wilcox, em 1893.

Aquecimento central a gás – Alice Parker, em 1919.

Escada de incêndio – Anna Connelly, em 1887.

Bote salva-vidas – Maria Beasely, em 1882.

Seringas – Letitia Geer, em 1899.

Máquina de sorvete – Nancy Johnson criou o sistema de refrigeração de sorvetes em 1843.

Colete à prova de balas Kevlar – O nome dela é Stephanie Kwolek, como toda boa invenção, aconteceu por experimentos, tentativas e erros, mas o verdadeiro motivo era de desenvolver pneumáticos com fibras mais leves para os carros. Mas no final das contas, criado estaria o colete à prova de balas Kevlar – patenteado em 1966, material que também é usado para fabricação de Cloche (de Kevlar) – para cavalos.

Cerveja – Verdade! E nem bebemos para escrever, fazemos isso aos finais de semana. Pois é, está certo! Você não sabia que há indicações de que o processo de fabricação da cerveja já existia no antigo Egito, antes dos alemães popularizarem esta bebida que hoje faz tanto sucesso quanto o vinho. Foram as mulheres na Mesopotâmia as grandes responsáveis pela fermentação da cevada, desenvolvendo então, a cerveja. Tem uma parte mitológica que precisa ser citada também: Segundo a historiadora Jane Peyton, elas não exclusivamente permitidas na fabricação das cervejas e nas tabernas, como a bebida é tida como presente da deusa, até a deusa era mulher. Agora pensa na decepção desta galera vendo as novas propagandas cervejeiras contemporâneas.

Saco de papel – inventado por Margaret Knight. Até que eladivulgasse sua façanha as embalagens eram tipo papel pardo, embalagem de papel sem fundo, parecido com envelopes. Então, ela desenvolveu a máquina para fabricar os sacos de papel, facilitando bastante compras e transportes. Um indivíduo tentou patentear sua ideia antes dela, mas ela ganhou a ação contra este homem, Charles Annan, no ano de 1871 e manteve a patente em sua posse.

Computadores – não é mais novidade para ninguém que o primeiro computador do mundo era imenso, ele fora criado em 1944, por Grace Hopper e Howard Aiken, em Harvard, o conhecido Mark I. Ela, também criou um sistema de programação traduzindo a linguagem escrita para códigos de computador.

Sabe a expressão “BUG”, “BUGOU”, ou “está BUGADO”? Então, surgiu relacionado à sistemas e equipamentos eletrônicos, um dia Grace teve problemas com sua máquina e de fato foi encontrado um inseto que bloqueava a transmissão dos dados entre os cabos ou dentro do computador construído, e a expressão pegou! Outra curiosidade é que o algoritmo utilizado nos programas de computadores foi arte de Ada Lovelace, uma verdadeira gênia matemática. Ela programou uma máquina com algoritmos matemáticos, em Londres, junto ao cientista Charles Babbage.

Transmissores wireless – Pois sim!!! Só melhora… até você foi feito na terra por uma mulher, o que é uma mera transmissão de sinais … Mas transformar e repaginar a tecnologia da internet conectando-se à rede sem fios foi uma peripécia feminina, acontecida durante a Segunda Guerra Mundial. Para os novato, a internet nasceu como ferramenta de guerra. A autora era atriz também pesquisadora Hedy Lamarr, ela deu os primeiros passos em rumo à tecnologias hoje conhecidas por WiFi. Tratava-se de um sistema secreto de comunicação a longa distância para torpedos controlados via rádio, evoluindo anos depois para o que conhecemos por internet wireless.

Lavadora de louças – Josephine Cochrane, responsável por criar um ítem revolucionário para sua época, uma primeira lavadora automática para louças. Se você acha que ela estava enfadada dos trabalhos domésticos, muito se engana, no ano de 1886, não eram as senhoras que lavavam ou cuidavam de suas louças, eram suas damas. Na verdade, ela queria mesmo era facilitaro trabalho e a vida de seus trabalhadires.

Lixeira de pedal – Lillian Gilbreth, se houvesse fada naquela época, ela seria a Tinker Bell – a fada que consertava tudo, um verdadeiro gênio na matéria das gambiarras. Como aprimorava os itens de sua coleção e objetos que tinha em casa, inventou o sistema de pedal de abrir a tampa da lixeira sem precisar das mão. Sabe aos guarda-volumes ou prateleiras da porta da sua geladeira? É obra desta personalidade.

Refrigeradores elétricos – Uma criação feminina, claro! Então a Florence Parpart, uma senhora repleta de imaginação que se aventurou pela brilhante ideia em 1914.

O jogo Banco imobiliário – Com nome inicialmente popular como “O Jogo do Senhorio”, seu objetivo tinha fundamentos educativos de expor uma teoria econômica ao alunos no início do século XX. Criado pela Elizabeth Magie, 3 décadas seguintes, uma empresa (Parker Brothers) redesenhou o jogo, lançando-o no mercado como Monopoly, e sua patente fora comprada por uma ‘merreca’.

A Serra circular – Uma ferramenta tradicionalmente masculina e de peso considerável, então o objetivo foi de ajudar mesmo os homens com o resultado advindo desse tipo de corte. O nome desta criadora é Tabitha Babbitt, ela sugeriu a criação de uma serra que funcionaria usando um dispositivo circular, assim, apenas um homem – não dois, seria capaz de empenhar sozinho por resultados satisfatórios ao invés de empurrar e puxar a única serra da época, a serra reta. Sua façanha fora registrada em meados de 1813, claro que ninguém permitiu que ela patenteasse sua invenção.

Sinalizadores luminosos – Martha Coston é o nome desta pesquisadora que levou uma década transformando a viabilidade da ideia de seu marido, após a sua morte. Com auxílio de especialistas pirotécnicos e químicos, patenteou a ideia no ano de 1859, porém a invenção foi creditada justamente ao falecido.

Vidro transparente – No ano de 1935, a indústria General Electric (G.E.) conquistou sua primeira cientista feminina, chegando para revolucionar, provou que tinha muito valor, Katharine Blodgett, foi a criadora do primeiro vidro sem brilho e sem distorção, incolor, translúcido e transparente, assim como o identificamos atualmente. Fantástica e inovadora!

Fantástico, não? E você, é mulher e tem ideias revolucionárias, deixa nos comentários. Melhor, conhece alguma mulher que revolucionou ou que não está na lista e merece? Manda ver aqui nos comentários!

Fusne

O Fusne é um site para quem ama internet, nós somos especializados em comprar online. O que você vai encontrar por aqui é escrito por humanos, que vivem fazendo compras online, assim como você, então entende as suas dificuldades e tristezas nessas horas. O material do Fusne é testado várias e várias vezes pela equipe... Leia Mais

Vamos Bater um Papo?